Galã de Pornochanchada, palhaço Bozo e Pastor, a História do Ator Arlindo Barreto

Biografias Cinema Brasileiro Por onde anda?

O ator Arlindo Barreto estrelou diversos filmes produzidos na Boca do Lixo, região de São Paulo onde eram filmadas as pornochanchadas brasileiras. Mas ficou realmente famoso quanto se tornou um dos palhaços Bozos do programa exibido pelo SBT, na década de 1980.

Sua vida serviu de inspiração para o filme Bingo, O Rei da Manhã (2017), de Daniel Rezende.

Arlindo Barreto e sua mãe, a atriz Márcia de Windsor

Arlindo Tadeu Barreto Montanha de Andrade nasceu em Ilhéus, Bahia, em 19 de maio de 1953. Ele é filho da atriz, vedete e jurada Márcia de Windsor, aquela que sempre dava nota dez.

Inspirado na carreira da mãe, Arlindo estudou teatro, mas começou a sua carreira profissional após se casar com a atriz Angelina Muniz, em 1978.

Angelina estava fazendo sucesso na Globo, atuando na novela Sinal de Alerta (1978), e acabou conseguindo um teste para o marido, que foi escalado para a novela Maria, Maria (1978). Era um papel pequeno, mas no mesmo ano, Arlindo (na época chamado Arlindo Thadeu) ganhou um papel de destaque na novela Gina (1978).

Também fez algumas participações no programa Sítio do Pica Pau Amarelo.

Arlindo Barreto e Louise Cardoso em Gina
Ricardo Wanick, Castro Gonzaga, Christiane Torloni e Arlindo Barreto em Gina
Seu papel fez muito sucesso com o público, mas misteriosamente, o ator foi dispensado da emissora após este trabalho. Anos mais tarde, em entrevistas, Arlindo revelou que um diretor (já falecido) teria oferecido um papel de protagonista em troca de sexo, e diante da recusa do artista, fez com que ele fosse demitido, afirmando que ele jamais trabalharia na Globo novamente.
Arlindo então foi para a TV Bandeirantes, onde sua mãe trabalhava. Lá, atuou nas novelas Cara a Cara (1979), Dulcinéia Vai à Guerra (1980) e Os Imigrantes (1981), um grande sucesso da história da teledramaturgia.
Débora Duarte e Arlindo Barreto em Cara a Cara
Em 1979 Arlindo estreou no cinema, protagonizando o drama rural A Intrusa (1979), dirigido pelo grande cineasta argentino Carlos Hugo Christensen. Passado nos pampas gaúchos, o filme era baseado em um livro de Jorge Luís Borges.
Alindo Barreto em A Intrusa
No mesmo ano, fez E Agora José? – Tortura do Sexo (1979), e As Borboletas Também Amam (1979), onde contracenava com a esposa, Angelina Muniz. Com ela também faria O Inseto do Amor (1980), que foi muito bem sucedido nas bilheterias.
Angelina Muniz e Arlindo Barreto em As Borboletas Também Amam
Ainda em 1979 Arlindo fez o principal papel masculino (além de produzir) o infantil Vamos Cantar Disco Baby (1979), que era estrelado pelo conjunto As Melindrosas, formado por Gretchen e suas irmãs. Anos mais tarde, o ator e a rainha do rebolado tiveram um relacionamento.
Arlindo Barreto em Vamos Cantar Disco Baby
Nos anos seguintes, Arlindo fez diversos filmes, a maioria deles destinadas ao público adulto. Ele atuou em A Noite das Taras (1980), Corpo Devasso (1980), Império das Taras (1980), Palácio de Vênus (1980), A Insaciável – Tormentos da Carne (1981), Anarquia Sexual (1981), Delírios Eróticos (1981), Me Deixa de Quatro (1981), A Fábrica de Camisinhas (1982), A Primeira Noite de Uma Adolescente (1982), Mulheres Liberadas (1982) e Sexo às Avessas (1982). Ele também dirigiu o filme Escândalo na Sociedade (1982).
Como diretor, também dirigiu a peça Estórias Que Nossas Avôs Não Contavam (1981), estrelada por Esmeraldo Barros, uma atriz brasileira que havia feito muito sucesso no cinema italiano nas décadas anteriores. No elenco também sua mãe Marcia de Windsor, a vedete Salomé Parísio, o ator Sebastião Apolônio, entre outros.
Márcia de Windsor e Esmeralda Barros ao centro, Salomé Parísio em cima, e Arlindo Barreto e Sebastião Apolônio no canto direito, nos bastidores de Estórias Que Nossas Avós Não Contavam

Em 1982 Arlindo foi contratado pelo SBT para viver o palhaço Bozo, um grande sucesso de audiência da emissora. Ao contrário do que é mostrado em Bingo, O Rei da Manhã, Arlindo não foi o primeiro interprete do personagem.

O primeiro Bozo do SBT foi o ator Wandeko Pipoca, que foi demitido após discutir com Silvio Santos. Wandeko também teve problemas com drogas, e assim com Arlindo, hoje é pastor evangélico. Em tempo, o primeiro Bozo brasileiro foi o humorista José Vasconcelos, na década de 1950.

Arlindo Barreto fez muito sucesso como Bozo, principalmente por improvisar e fugir do roteiro, vindo diretamente dos Estados Unidos. Ele também incluía piadas maliciosas e de duplo sentido no personagem. Bozo fazia tanto sucesso no canal, que chegou a ficar no ar por muitas horas. Nos bastidores, a brincadeira dizia que SBT significava Sistema Bozo de Televisão.

Arlindo Barreto como Bozo e Gibe como Papai Papudo

Nesta época, ele havia se separado da atriz Angelina Muniz, e estava casado com a atriz Zélia Diniz, que havia sido assistente de palco de Silvio Santos. Ela é mãe de seu filho, Diego, que hoje é dentista nos Estados Unidos.

Zélia Diniz, Diego e Arlindo Barreto

O sucesso, a fama e o dinheiro fizeram com que o ator perdesse a cabeça. Ele passou a frequentar muitas festas, onde passou a consumir muitas drogas. Ele também saia com diversas mulheres, fazendo com que Zélia Diniz o deixasse.

Diante dos problemas do marido, Zélia não só pediu o divórcio, como também abandonou a carreira, para se dedicar aos cuidados do filho pequeno.

Arlindo Barreto e Silvio Santos
Arlindo Barreto, como Bozo, ganhou um Troféu Imprensa, um Disco de Ouro e muito dinheiro (entre salários e merchandising). O SBT também pagou muitos tratamentos para que ele deixasse o vício, sem sucesso.
A situação se agravou, e fora de controle, Arlindo Barreto foi demitido em 1987.
Em 1986 Arlindo Barreto havia se casado com Elizabete Locatelli Andrade, que era produtora do programa. Elizabete é evangélica, e convenceu o marido a assistir a um culto. Pouco tempo depois, ele se converteu, largou as drogas, e passou  a dedicar se a vida religiosa.
Arlindo tornou-se um pastor Batista, e fazia cultos vestido como Bozo, mas foi impedido pelos detentores dos direitos autorais. Ele então criou o personagem Mr. Clow, o Palhaço de Deus, e usa suas histórias pessoais durante suas pregações.
Com Elizabete, teve um casal de filhos, Davi Gabriel e Stacy Lôyde.
Ao longo dos anos, gravou diversos discos como “O Palhaço de Deus”.
Arlindo Barreto autorizou que sua vida fosse cotnada no cinema, mas devido a questões de direitos autorais, Bozo foi renomeado como Bingo, no filme Bingo, o Rei da Manhã (2017). O ator Vladmir Brichta estrelou o filme.
Arlindo Barreto, após muitos anos afastado dos cinemas, fez uma participação especial na obra.
Vladimir Brichita
Arlindo Barreto atualmente
Veja Também: A História de Ana Ariel, Filha do Palhaço Piolin

Leia também: José Vasconcelos, o primeiro palhaço Bozo do Brasil

Leia também: A elegante Márcia de Windsor, a jurada nota dez

Leia também: Morreu Paulo Seyssel Neto, um dos intérpretes do Bozo do SBT

Leia também:  Morre a atriz Esmeralda Barros, a estrela brasileira do cinema italiano

Veja também: Raul Gil já foi ator

Veja também: José Paulo de Andrade – O Zorro Brasileiro

Veja também: Lúcia Alves é Irmã de Sidney Magal?

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram
Siga também no Kwai
 
Ajude o site a se manter no ar, contribua com qualquer valor no PIX contatomemoriacine@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *